segunda-feira, 20 de abril de 2015

Arquivo Confidencial

Oi meninas, hoje eu vim escrever sobre o que venho sentindo ultimamente, demorou um tempo até que eu conseguisse escrever sobre isso e confesso que o que me deu forças para tal ato foi o texto “Caixa de entrada” do livro Depois dos Quinze da escritora Bruna Vieira.

Bom nos últimos meses eu tenho passado por uma fase em que nada parece dar certo, decepções amorosas, enfraquecimentos de algumas amizades e coisas que eu gosto que chegaram ao fim. Parece que eu meio que criava desculpa pra certas coisas que as pessoas faziam e de certo modo fazia com que fosse ‘’culpa minha’’ só pra que os outros não julgassem essa pessoa, pelo simples fato de eu me importar demais com ela. Só que depois de um longo tempo eu consegui acumular coragem o suficiente pra dar um basta nessa situação e aprendi uma das coisas mais importantes: se não lhe der sossego, não é amor é apego.
Tenho plena consciência que eu fiz de tudo sem medir esforços, deixei muita coisa pra trás, porém isso não foi suficiente. Aprendi a diferença de gostar e amar, e tenho certeza que você vai quebrar o coração de muita gente ainda pelo fato que você pensa que palavras e o modo como são ditas não têm o poder de esmagar um coração... “Desculpa, mas você falar algo como ‘‘Eu te amo” sem ser verdade pra alguém que esperou muito por isso tem um poder destrutivo enorme.
Só que nesse intervalo de tempo em que eu estava ocupada demais lidando comigo mesma, que vou assumir não é um trabalho fácil. Conheci uma pessoa super legal (que tem a risada mais épica do mundo) e que pelo menos até agora está fazendo totalmente o oposto de tudo que você fez e é exatamente isso que me deixa mais feliz... Porque de uma coisa eu sei, posso até quebrar a cara, mas pelo menos não vai ser igual ao que aconteceu quando conseguir enxergar realmente quem você era o que você queria.

E hoje graças a Deus consigo enxergar que eu era bem melhor sendo apenas sua amiga, até porque é só assim que eu conseguir ser a minha versão mais autêntica de mim mesma.